sábado, 31 de março de 2012

Hora do Planeta: Apagão mundial hoje às 20:30, pela saúde da Terra

Compartilha



As luzes vão apagar-se em vários pontos daquelas localidades, distribuídas por todo o país, e em mais de meia centena de monumentos nacionais, como o Cristo Rei, a Ponte 25 de Abril ou o Museu da Electricidade, em Lisboa, o Santuário dos Remédios, em Lamego, o Castelo de Leiria ou as Muralhas de Serpa.
«Oitenta e três municípios já aderiram à Hora do Planeta, destacam-se algumas cidades como as capitais dos Açores e da Madeira, Ponta Delgada e Funchal, ou Lisboa, Faro e Coimbra», disse sexta-feira à agência Lusa Angela Morgado, da organização World Wildlife Fund (WWF) em Portugal.
«Existem vários monumentos a aderir, são mais de 50, igualmente por todo o país», referiu a responsável, apontando os exemplos, em Lisboa, da Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos ou o edifício dos Paços do Concelho.
Além do apagão, a WWF propôs outras formas de ajudar o planeta contra as alterações climáticas, como a campanha «eu faço se tu fizeres», para «inspirar as pessoas a mudarem os seus comportamentos no dia-a-dia», salientou.
Jantares em hotéis, parada de velas na Praça do Município, em Lisboa, concertos ou uma caminhada com candeias a azeite, em Góis, são outras iniciativas agendadas.
A Hora do Planeta começou em Sidney, na Austrália, em 2007, e tem tido cada vez mais adesão.
«No ano passado foram 135 países e territórios e este ano são 147», depois da entrada de países como a Líbia, Argélia ou Guiné francesa, realçou Angela Morgado.
«Este apagão é simbólico e pretende enviar uma mensagem conjunta de que é o momento de agir pelo planeta», mas «o que queremos é que as pessoas se comprometam na sua ação no dia-a-dia para um mundo mais sustentável», acrescentou.
Angela Morgado disse que a perceção é de que as pessoas estão a mudar a forma como agem e vivem e a pensar que é preciso ter em atenção os recursos do planeta.
Os compromissos de cidadãos e empresas vão de atitudes mais simples a mais complexas, como reciclar o lixo, deixar baterias ligadas quando não é necessário, mudar para lâmpadas eficientes ou criar ciclovias, não esquecendo que «pequenos gestos fazem a diferença».
Em Portugal, às 83 localidades juntam-se ainda 14 empresas e 10 instituições e associações.
No desafio «Eu faço se tu fizeres», a atriz Sandra Cóias promete nunca mais voltar a usar sacos de plástico e a cantora Rita Guerra não demorar mais do que cinco minutos a tomar duche, desafiando os seus fãs a fazerem o mesmo.
A nível internacional, a Hora do Planeta vai do espaço até à Suazilândia, espalhando a mensagem de que é urgente tomar medidas pelo ambiente, salienta a WWF.
A população está a consumir os recursos a um ritmo superior àquele que os ecossistemas precisam para se regenerar e usa atualmente o equivalente a 1,5 planetas para sustentar as suas atividades.
O gelo a derreter no Árctico, «um iminente desastre" provocado pela desflorestação na Amazónia, a destruição da Grand» Barreira de Corais ou a fome no Corno de África são exemplos de consequências apontados pela WWF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário