sábado, 29 de setembro de 2012

Sustentabilidade, Acessibilidade e Empreendedorismo

Compartilha
Um festival mais sustentável, empreendedor e acessível
Durante dez dias, o FIG transforma o cenário de Garanhuns com uma intensa movimentação cultural. Shows, espetáculos, sessões de cinema, teatro e circo, apresentações de cultura popular e outras de formação dentre outras invadem a cidade. A novidade é que pela primeira vez, em 2012, toda a programação do festival se sustenta em três conceitos norteadores: sustentabilidade, empreendedorismo e acessibilidade. Juntos, eles perpassam diferentes polos e atividades.
O Espaço Cultura no Ponto é um dos locais que se apoia na transversalidade dos conceitos. Como sede dos Pontos de Cultura durante o festival, propõe-se a ser um espaço para discutir como os atores sociais podem produzir cultura a partir dessa tríade. Além de abrigar exposição de trabalhos e intervenções artísticas, o espaço também oferece uma palestra da série “Caravanas da Cidadania”, do MinC, também voltada à difusão dos conceitos de sustentabilidade, empreendedorismo e acessibilidade.
Outro local que vai centrar suas ações a partir da tríade é o Ambiente Criativo, novo polo instalado no Parque Euclides Dourado. Trata-se de um espaço privilegiado da economia criativa, com programação aberta ao público entre os dias 16 e 21 de julho. Com cerca de 400 m², o Ambiente Criativo tem como propósito movimentar o FIG através de articulações institucionais entre parceiros, um cyber café para troca de ideias, um salão das iniciativas inovadoras e a comercialização de produtos criativos.
Além disso, reciclagem do lixo gerado no FIG, oficinas voltadas à confecção de produtos sustentáveis, espetáculos acessíveis a deficientes auditivos e visuais entre outras iniciativas compõem o arsenal de novas ideias que movimenta o festival este ano. Tudo isso para fazer com que o evento tenha mais do que dez dias de duração, trazendo benefícios futuros para Garanhuns e os visitantes que passarem pelo charmoso município.
Conheça abaixo as ações em cada uma das linhas:

Sustentabilidade

Fazer da sustentabilidade algo que mobilize todos os visitantes do FIG, como um conceito a ser praticado no festival de maneira sistêmica, presente não apenas em atividades culturais e sociais, mas também econômicas e ambientais para serem inseridas no cotidiano dos cidadãos e das cidadãs.
Uma das iniciativas que coloca em prática esse conceito é a parceria do evento com a Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (ASNOV), que se realiza durante todo o festival, na coleta e na reciclagem do material descartado durante o FIG. Segundo a diretoria do evento, a intenção é ampliar o número de pessoas que fazem da reciclagem uma forma de sustento – atualmente 11 famílias transformam o que seria lixo em fonte de renda.
O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP) será outro parceiro do FIG. Com ações dentro de uma tenda no Parque Euclides Dourado, o instituto oferece oficinas, espetáculos de teatro sobre reciclagem, e recreação para crianças para os estiverem circulando pelo parque durante o festival. Além disso, o ITEP distribuiu em todos os polos do FIG coletores de lixo seletivo.
Durante o festival, diferentes linguagens irão abordar o tema, perpassando a formação em torno da sustentabilidade. A literatura, por exemplo, leva para o FIG o projeto Severina Catadora que capacitará catadores de lixo, através de uma oficina, para criar livros artesanais com papelão reciclado, gerando renda e publicando novos autores.
Já a comunidade quilombola de Castainho será sede do Permacultura, ação que realizará quatro palestras e quatro oficinas voltadas para os povos tradicionais da região. A ideia, mais uma vez, é levar conhecimento e práticas de sustentabilidade. O uso da bioconstrução, por exemplo, será a ferramenta para a criação de um centro cultural no Castainho, durante as atividades de formação do FIG.
Algumas ações de sustentabilidade no FIG:
  • Palestra com organizadores da Virada Sustentável (SP)
  • Oficina Sustenthabilite-se: comercialização de acessórios feitos de lona customizada
  • Permacultura: ação na comunidade quilombola do Castainho
  • Plantio de árvores
  • Reciclagem de material produzido pelo FIG

 

Empreendedorismo

O pernambucano é um povo que gosta de produzir, criar e recriar. Incentivando o espírito empreendedor da cadeia produtiva da cultura do estado, o FIG aporta ações de fomento e atualização nesta área, contando com um espaço exclusivo para isso: o Ambiente Criativo.
No Ambiente Criativo, situado no Parque Euclides Dourado, os criativos (criadores dos setores culturais) podem trocar ideias e conhecer novas perspectivas com parceiros do espaço, como as secretarias estaduais, Sebrae, Senac, BNB, BNDES e MinC. No local, as ações acontecem de 16 a 21 de julho, e reúnem ainda um cyber café, um salão das iniciativas inovadoras, um estúdio para gravação dos programas “Cidades Criativas” e a comercialização de produtos ligados ao empreendedorismo criativo. Um lounge foi criado para um bate papo com a presença de convidados, que discutem temas ligados à economia criativo. Tudo isso tem transmissão ao vivo, via streaming.
Algumas ações de empreendedorismo no FIG:
  • Ambiente Criativo, no Parque Euclides Dourado
  • Sustenthabilite-se: laboratório criativo para confecção e comercialização de acessórios feitos de lona customizada
  • Oficina Design, Cidade e Turismo Criativo: a vivência criativa da cidade como potencial turístico

 

Acessibilidade

Portadores de necessidades especiais, entre elas visual, auditiva e física, ganham mais espaço no FIG 2012. Ações voltadas para a integração desse público buscam facilitar o acesso aos polos culturais do evento e a fruição dos trabalhos artísticos inseridos na grade.
Moldada sob o viés da acessibilidade, rampas estão instaladas nos polos Guadalajara e Pop/Forró, que também contam com projetos de camarotes especiais, adaptados para cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida.
Outra novidade é que portadores de deficiência visual e auditiva poderão acompanhar espetáculos de artes cênicas, através de tradução em libras e áudio-descrição. Aos que pretendem aproveitar a programação de cinema do festival, os filmes trazem ainda legendas para cegos, por meio de áudio. Além disso, a programação do festival está sendo disponibilizada em braile, a partir de locais estratégicos, como o estande da Secretaria de Cultura do Estado/Fundarpe e da Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (SEAD), no Parque Euclides Dourado.
A ideia é, por fim, deixar a missão do festival mais clara, dando o direito aos portadores de necessidades especiais de ao FIG, como qualquer cidadão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário